11 janeiro 2019

4 coisas que eu fiz pra amar a mim mesma

Não é novidade pra ninguém essas fases que tenho com a autoestima. Agora, por exemplo, tô bem de boa comigo (há um tempo inclusive), mas passei por um processo louco. Mas louco mesmo. Eu cheguei não me reconhecer na minha imagem no espelho e em fotos minhas. Não sei nem explicar direito o que eu sentia, mas hoje eu tenho certeza da importância desse processo. Passar por ele não foi nada fácil, mas encontrei uns jeitinhos de me enxergar de novo e cultivei um amor carinhoso por mim.

Tem algumas coisas que já escrevi aqui, quando falei sobre atitudes que me ajudam a escapar da ansiedade, mas agora aprimorei os momentos e consegui valorizar ainda mais as sensações de bem estar comigo.  

1- Pensar em mim mesma enquanto escuto música

"Mana, você está louca?" - é o que você deve estar pensando. E posso até estar, mas funciona. Sabe essas músicas românticas que quando a gente ouve vem logo a imagem do crush na cabeça? Então, eu comecei a pensar em mim. Pensar nos meus momentos felizes, no quanto eu me quero bem e sou importante pra mim mesma. Assim eu ressignifiquei todos os cds do vanguart (haha).

2- Banho à luz de velas 



No fim da tarde ou no início da noite, principalmente depois de um dia cheio, acendo três velas que tenho, e que é importante falar que comprei pra exatamente isso (porque também demonstra que o cuidado foi pensado) e deixo só elas iluminando o banheiro. Já comentei que no banho eu procuro focar apenas no banho e lembrar que cada etapa é uma  etapa (seja da vida ou dos momentos diários). 

3- Me afastei das redes sociais

Eu abandonei minha cobrança de postar, de fazer fotos sempre legais e selfies perfeitas. Entendi que não é isso que me move, que me faz estar online. Parei de me perguntar sempre o que as pessoas iriam achar disso ou daquilo que eu compartilhava. Inclusive, cheguei a deixar de postar coisas que eu gostava porque descobri que o outro não achava legal (aff). Mas também entendi depois que isso foi importante pra esse processo de descobertas e entendimentos sobre mim. 

4- Passei um tempo me importando comigo


Não deixei de ajudar meu amigos, nem deixei pra lá os problemas sociais que a gente convive. Mas foi importante, durante um tempo, entender o que me fazia feliz e ir atrás. E não falo do sonho de ter uma casa própria, de conhecer outro país ou apresentar um espetáculo no Teatro da Paz com casa cheia. Falo dos sonhos diários: ir ao cinema sozinha, tomar aquele sorvete caro uma vez na vida, ou comprar um hambúrguer na sexta-feira à noite. É que esse tipo de coisa, às vezes, a gente deixa pra depois porque parece que não é legal fazer sozinho, por mais que a gente esteja com muita vontade. E a verdade é que essas coisas mínimas nos fortalece, nos anima, nos faz fazer por nós. Entende?

Eu percebo e valorizo hoje o que me faz bem. Claro que existem mil outras coisas que me deixam de bem comigo, mas essas foram atitudes que eu comecei a fazer porque senti mesmo o bem que elas me traziam no dia-a-dia. E você, o que faz por você mesmo? 



Share:

0 comentários:

Postar um comentário