25 março 2018

Sobre conhecer a mim mesma


Estar só nunca foi ser solitária. Eu sempre admirei minha companhia nos dias calmos. Agora passei a admirar também no tumulto. 

Aprender a cuidar do espaço que vivo é também aprender a cuidar de mim. Encontrei com uma amiga essa semana e, na mesma fase que eu, conversamos sobre como o espaço físico reflete o interior. E é mesmo. 

É um respeito não só pelo espaço, mas por mim. Principalmente por mim. O cuidar com minha cama, meu chão, preparar meu alimento e deixar a casa com cheiro de café também reflete em um banho bem tomado, uma roupa que me sinto bem, no foco na minha carreira. Passei muito tempo tentando me dividir entre Valéria atriz, Valéria blogueira, Valéria dia-a-dia. Quando, na verdade, tudo é uma coisa só. Assim como o espaço e o meu interior.

Me permitir ir a lugares novos em uma cidade nova. Conhecer pessoas novas. Me desafiar a andar 15 minutos a mais porque eu queria conhecer a rua. É tudo muito diferente, mas extremamente importante pra me tornar quem eu sou, serei. 

Tô nessa fase de desconstrução de alguns medos que não são meus. É bom estar aqui porque eu quero estar aqui. Às vezes parece simples, coisa pequena, mas não é. Principalmente por ser mulher. 

Tenho meus medos, claro. Minhas inseguranças, incertezas. Mas não pensar nisso tem sido fortalecedor. 

Pode ser que daqui a pouco passe, mas ser minha principal companhia tem sido o suficiente. E eu, sendo suficiente pra mim, basta.


Share:

0 comentários:

Postar um comentário