07 julho 2017

Sobre o vai e vem da autoestima


Hoje eu senti o vento nos cabelos. Eu caminhava na rua e sentia os cabelos indo e vindo. Geralmente, meus cabelos me incomodavam. Usei ele curtinho por anos e agora que estão maiores eu costumo prendê-los. Mas dessa vez resolvi soltar. 

Eu parei um segundo antes de atravessar a rua, o vento bateu e eles voaram. Foi nesse segundo que meu coração gritou: tá tudo bem. 

Eu não me importei com o que as pessoas estavam achando dele. No geral, eu saio preocupada com o volume, com o frizz, com o lado que ele fica melhor. Mas dessa vez não. 

Só quando cheguei em casa fui ver o quanto volumoso ele tava, o quanto sou muito magra e tenho uma quantidade de cabelo desproporcional pro meu corpo, o quanto seria melhor se ele estivesse preso. E isso tudo eu pensei enquanto me olhava no espelho. 

Em semana de crise, eu evito espelhos. Só olho mesmo pra não borrar o pouco de maquiagem, isso quando resolvo usar. Costumo postar fotos antigas, porque as de agora eu não me sinto bem. 

Que besteira, né? Eu pensei. Essa cobrança de estar sempre bonita é realmente mais importante do que a sensação de sentir que tá tudo bem? Não deve ser.

A minha função nos próximos dias é: eu preciso me sentir. 

Eu acredito que me sentindo bem, sem me cobrar mais nada além disso, vai fazer com que tudo reverbere positivamente. Assim espero. 

Enquanto isso, vou trabalhando diariamente, hora após hora, o bem estar com o meu corpo, meu cabelo, minha alma. Isso vale também. Essa foto é até atual. 

Share:

0 comentários:

Postar um comentário