09 janeiro 2017

Onde está a calmaria?



Eu tenho ansiedade. 
Tá, parece que metade dos meus amigos no facebook também. 
E nem tô aqui pra me fazer de vítima. 
É que semana passada eu atualizei meu currículo (preciso de um emprego, se alguém aí tiver uma vaguinha, me chama que eu vou) e vi o quanto de coisa que eu fiz.

Alguns espetáculos, algumas coisas no cinema (2016 me levou com muito carinho, amor e força pro audiovisual), dois estágios e o blog. Eras, o blog!

O Tipo Assim esse ano faz cinco anos (comentei semana passada aqui). E caraca! Até na Elle já saí! 

Mas também não tô aqui pra me vangloriar. 

A verdade é que isso acalmou um pouco o desespero de quem se forma esse ano e tá desempregada. Ser atriz não me dá dinheiro, blogueira muito menos (alguém me ajuda a ganhar dinheiro com isso aqui). Mas as duas coisas me deram muitas riquezas.   

Ter tido a possibilidade de participar de palestras, mesas redondas e bate papos, a maioria falando sobre a minha relação com o brechó, foi muito fortalecedor. Sempre que eu consigo comentar com alguém sobre a proposta do blog, eu abro a boca e falo mesmo. 

E como raramente eu paro pra pensar no quanto de coisa já consegui, eu resolvi compartilhar isso com vocês. Porque nada traz mais calmaria do que nossas conquistas.

Às vezes as redes sociais nos enlouquece tanto, nos faz querer ter aquela vida ali, que a gente até esquece da nossa e que temos que correr atrás das coisas pra ser feliz também (porque pasmem, isso é sim possível!). Enxergar nossos resultados é fortalecedor. 

E tudo o que a gente busca é calmaria, né? E em meio ao vuco-vuco de informações, de vidas expostas, do corre-corre atrás do sustento, a gente precisa lembrar que essa calmaria não está fora da gente, e sim internamente. A calmaria somos nós.



Share:

0 comentários:

Postar um comentário